terça-feira, 30 de setembro de 2014

Ovos escalfados

Ingredientes ovos escalfados:
  • Ovos
  • Azeite
  • Azeite
  • Água
 
 Preparação ovos:
- Comece por forrar o copo de medida com película aderente. É recomendável película resistente a altas temperaturas. Eu costumo usar película aderente "normal" e corre sempre bem.
- De seguida deite um pouco de azeite para dentro do copo. Depois parta um ovo e transfira o ovo para dentro do copo de medida. Tempere com sal.
- Feche a película aderente como se fosse um saquinho, coloque na Varoma. Repita até fazer este processo para todos os ovos que quiser escalfar.
- No copo da Bimby coloque água, e programe 17m/Varoma/Velocidade colher. (Já fiz com 20 e achei que ficaram muito cozidos. 17 minutos é o ideal.
 
 

Arroz branco

O arroz é presença assídua na nossa mesa, mas curiosamente é muito raro fazer arroz branco. Por isso hoje trago-vos uma sugestão simples mas muito apreciada feita na Bimby.

Ingredientes arroz branco:

  • 300 g arroz agulha aromático (Bom Sucesso)
  • 800 g água
  • sal q.b.
  • 20 g azeite
  • manteiga, q.b. (Opcional)

  •  

     
    Preparação arroz:
    - Comece por pesar o arroz. Coloque o cesto sobre a tampa da Bimby, pese as 300gr de arroz e reserve.
    - No copo coloque a água, o sal e o azeite.
    - De seguida introduza o cesto com o arroz.
    - Coza durante 15 min/100°C/vel 4.
    - Durante o tempo da cozedura mexa de vez em quando com a espátula para ajudar a soltar o arroz. - Quando terminar, retire o cesto com a ajuda da espátula, deite o arroz para uma travessa, junte a manteiga, caso deseje e envolva. 
     

     
     
     
     

    segunda-feira, 29 de setembro de 2014

    Rochinhas de coco

    Do arroz doce com maçã ralada feito no outro dia sobraram claras e andava a pensar o que é que ia fazer com elas... Não queria nem molotofe, nem farófias, nem espuma...
     
    Como cá em casa gostamos muito de coco decidi antes fazer umas "bolachinhas de coco". Como ficaram mais altas do que as tradicionais bolachas, batizei-as de rochinhas de coco.

     

    Apenas 4 minutos na Bimby são suficientes para fazer quase 30 rochinhas de coco.

     
    Ingredientes:
    • 5 Claras
    • 220gr de coco
    • 180gr de açúcar em pó
    • Sal q.b.
    Preparação:
    - Comece por colocar a borboleta na Bimby.
    - Coloque as claras, o açúcar e o sal no copo. Programe 4 Min. / Temp. 37ºC / Vel.3.
    - Ao fim deste tempo junte o coco ralado. Programe 5 Seg. / Vel.4.
    - Entretanto coloque uma folha de papel vegetal untada sobre o tabuleiro do forno.
    - Com a ajuda de uma colher coloque pequenas doses em cima do papel vegetal. Leve ao forno a 180ºC durante 18 minutos. ou até estarem douradas.


    Agora que o tempo está mais inconstante sugiro para acompanhar estas pequenas delícias um chá quentinho. Ficaram com um aspeto fantástico servidas nesta taça da Depositário.

    domingo, 28 de setembro de 2014

    Bolinhas caseiras

    Hummm... Pão quentinho. Foi assim que começou a minha manhã. Há um cheiro maravilhoso na nossa cozinha. Bolinhas caseiras amassadas na bimby e... forno com elas. Ficaram muitos boas e aprovadas cá por casa. Agora é hora de um pequeno almoço delicioso com pão ainda quentinho.

    Um bom domingo para todos vocês!!





    Estas foram feitas assim:

    Ingredientes:
    • 600g de farinha T65
    • 340g de água 
    • 8 gr de fermento fresco
    • 8,5 gr de sal fino 

    Preparação:
    - Comece por colocar no copo a água e o femento freco. Programe 2 min. / Temp 37ºC / Vel. 2
    - Ao fim deste tempo adicione a farinha. Vel espiga / 2 min.
    - Adicione agora o sal. Programe 1 min. / Vel. espiga.
    - Transfira a massa para um recipiente coberto com um pano húmido por 1 hora.
    - De seguida enfarinha a bancada de trabalho. Divida a massa em 6 bolinhas mais ou menos iguais.
    - Faça o sinal de uma cruz com a mão. Passe as mãos enfarinhadas pelos pães.
    - Deixe levedar mais um pouco enquanto aquece o forno a 180ºC.
    - Entretanto forre o tabuleiro do forno com papel vegetal.
    - Coloque os pães sobre o papel vegetal e programe 20 minutos (caso o forno tenha essa função).
    - Quando faltar metade do tempo aumente a temperatura para 250ºC (ou para o máximo).



    Nota:
    • Neste caso usei farinha tipo 65 e usei 600gr. Caso utilizasse farinha tipo 55 teria de usar 630gr.
    • Usei também fermento fresco - 8gr. Caso tivesse utilizado fermento seco a quantidade seriam 4gr.
    • A quantidade de sal usada está de acordo com o definido pela lei, ou seja, 1,4gr por cada 100gr de farinha. Trata-se de uma questão de saúde, ou seja, evitarmos a hipertensão arterial.

    sábado, 27 de setembro de 2014

    Parceria Quinta do Mosteirô

    É com enorme satisfação que partilho com todos os que me acompanham uma nova parceria entre o blog Prato Caseiro e a Quinta do Mosteirô.



    Apresento-vos a Quinta:

    "A Quinta de Mosteirô fica situada no nordeste de Portugal, rodeada de montanhas que lhe dão características mesológicas e climáticas particulares, fazendo parte integrante da Região Demarcada do Douro (sub-região do Baixo Corgo), classificada pela UNESCO, em Dezembro de 2001, como Património da Humanidade na categoria de paisagem cultural.
    Nesta região, banhada pelo Rio Douro, produzem-se vinhos há mais de 2000 anos, e é a origem de um dos vinhos mais famosos do mundo: o Vinho do Porto. A Região Demarcada do Douro é também mais antiga região demarcada e controlada do mundo a ser reconhecida. A sua criação iniciou-se durante o reinado de D. José I, pelo seu Primeiro-Ministro Sebastião José de Carvalho e Melo (futuro Marquês de Pombal), através da criação da Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro (por Lei de 1756).
    As referências mais antigas à Quinta de Mosteirô datam do séc. XII (Fernandes, 1991-1993: vol. I, 80, Doc.74), porém o primeiro registo (conhecido) em que se referencia a produção de vinhos reporta a meados do séc XVI, na obra de Rui Fernandes “Descrição do Terreno ao redor de Lamego duas Léguas (1531-1532)”. De acordo com este documento, a Quinta de Mosteirô pertenceu e foi administrada pelos Monges de Cister de S. João de Tarouca. Os Monges Brancos (assim conhecidos em razão da cor do seu hábito) instalaram-se nos sítios mais férteis e aprazíveis do Douro, onde desenvolveram a cultura da vinha através da implementação dos seus métodos vitivinícolas, baseados num grande cuidado com a plantação das videiras e na escolha criteriosa das castas.
    Segundo o mesmo documento, a qualidade do terreno e a elevada produção da Quinta de Mosteirô colocou-a entre as maiores quintas vinhateiras do Douro da época. Todo o vinho produzido na quinta era de elevada qualidade e como tal considerado na sua totalidade vinho de carregação. Os vinhos de carregação eram na sua grande maioria embarcados para exportação, alimentando um movimento constante que o tempo solidificou, e que se desenrolou ao longo dos séculos até aos nossos dias.
    Em 1983 a Quinta de Mosteirô foi comprada pelo actual proprietário - José Arnaldo Coutinho. Mais tarde, em 1991, sob a direcção do seu filho Manuel Coutinho, as vinhas foram reconvertidas segundo as directrizes regionais e comunitárias para a produção de vinhos do Douro e Porto. As vinhas foram completamente replantadas com castas nobres da região em talhões (porções de terreno) separados e identificados que permitem fazer vinhos por casta. Esta plantação foi feita ao alto, isto é, plantando as videiras na direcção da inclinação do terreno, por várias razões, entre as quais:

    • A mais fácil e correcta distribuição das castas;
    • A optimização das densidades de plantação;
    • Menor incidência de doenças da vinha;
    • Uniformidade da maturação;

    Das cerca de 180 castas recomendadas pelos organismos oficiais para a produção de Vinhos do Porto e DOC Douro, foram seleccionadas 22: Brancas - Códega do Larinho, Esgana Cão, Gouveio Verdelho, Gouveio Real, Malvasia Fina, Rabigato, Viosinho e Fernão Pires: Tinto - Tinta Amarela, Tinta Barroca, Tinta Roriz, Tinto Cão, Touriga Fêmea/Brasileira, Touriga Franca, Alvarelhão, Bastardo, Sousão, Tinta Francisca, Touriga Nacional, Alicante Bouschet, Rufete e Tinta da Barca. Esta selecção permitiu que se recuperassem castas muito antigas perfeitamente adequadas ao terroir.
    O cultivo da vinha é feito respeitando as características do solo de forma a promover uma agricultura sustentável. Para isso, adoptámos o Sistema de Produção Integrada – um sistema agrícola de produção de alimentos de alta qualidade utilizando os recursos naturais e os mecanismos de regulação natural em substituição de factores de produção prejudiciais ao ambiente. Através da adopção de métodos agrícolas sustentáveis, e aliado aos muitos outros cuidados com que cultivamos as nossas videiras, resulta a produção de uvas de elevada qualidade."

    Mostro-vos aqui a lista de vinhos e alguns dos prémios já conquistados. Aqui ficam os meus parabéns:
     

    Vinhos actualmente comercializados pela Quinta de Mosteirô

    Branco

    Pé Posto Branco 2011 Reserva
    Pé Posto Branco 2012 Reserva
    Pé Posto Branco 2013

    Tinto

    Tinto 1999 Touriga Nacional
    Tinto 2000 Grande Escolha
    Tinto 2000 Reserva
    Tinto 2001 Touriga Franca
    Tinto 2002 Tinta Roriz
    Tinto 2004 Touriga Nacional Franca
    Pé Posto Tinto 2009 Grande Reserva

    Lista de Prémios:

     

    Tinto


     
    Medalhas de ouro
    - Mundus Vini Alemanha 2013
    - Mundus Vini Alemanha 2012
    - Mundus Vini Alemanha 2009
    - 4º Concurso Nacional Clube do Vinho 2003
    - 3º Concurso Nacional Clube do Vinho 2002
    -13º Concurso de Vinhos do Douro Casa do Douro 2002
    - Wine Master Challenge França 1999
    - Concurso Internacional de Vinho Cidade do Porto 1998

     
    Medalhas de Prata:
    - Concurso Mundial de Bruxelas 2006
    - Concurso Mundial de Bruxelas 2002
    - 3º Concurso Nacional dos Vinhos Clube do Vinho 2002
    - 7º Concurso Internacional de Vinhos de Montanha – Itália 1998
    - 8º Concurso de Vinhos do Douro - Casa do Douro 1998

     
    Medalhas de Bronze:
    - VI World Wine Contest Wine Masters Challenge 2004
    - 3º Concurso O Melhor Vinho na Produção Casa do Douro 1997
    - 2º Concurso O Melhor Vinho na Produção Casa do Douro 1996

     
    Medalhas Commended
    - The International Wine and Spirits Competition Inglaterra 2003
    - The International Wine and Spirits Competion Inglaterra 2001
     

    Branco

     
    Medalha de Ouro
    10º Concurso de Vinhos do Douro Casa do Douro 1999

     
    Medalha de Prata
    -12º Concurso de Vinhos do Douro - Casa do Douro 2001
    - 8º Concurso Internacional de Vinhos de Montanha -Itália 1999
    - 7º Concurso Internacional de Vinhos de Montanha – Itália 1998
    - 4º Concurso O melhor Vinho na Produção - Casa do Douro 1998
    - 9º Concurso de Vinhos do Douro - Casa do Douro 1998
    - 3º Concurso O Melhor Vinho na Produção Casa do Douro 1997

    Assim sendo, resta-me agradecer toda a atenção, disponibilidade e os produtos enviados pela Quinta do Mosteirô.

    Iogurte com coco

    Mais uma sugestão de iogurtes, desta vez com coco ralado. Igualmente aprovados. Ainda bem que pelo menos os iogurtes são saudáveis.

     
    Ingredientes:
    • 1 Litro de leite meio-gordo
    • 1 Iogurte natural
    • 3 Colheres (de sopa) de coco ralado
    • 3 Colheres (de sopa) rasas de açúcar
    • 2 Colheres (de sopa) de leite em pó


    Preparação:
    - Comece por aquecer um pouco o leite. 
    - Junte ao leite as colheres de coco ralado.
    - Aqueça o leite apenas o suficiente apenas para ficar morno.
    - De seguida coloque num jarro o iogurte natural (eu mexo sempre antes com uma colher).
    - Adicione o açúcar e o leite em pó. Mexa muito bem.
    - Quando estiver tudo bem envolvido, adicione o leite morno (sem ser coado) e misture tudo.
    - Distribua agora o iogurte pelos copinhos de iogurte e coloque-os na iogurteira (sem a tampa). Programe para 10h.
    - Ao fim deste tempo deixe arrefecer, coloque as tampinhas nos frascos e leve ao frigorífico.

    sexta-feira, 26 de setembro de 2014

    Arroz doce com maçã ralada e maçã vermelha doce desidratada

    Já por várias vezes vos disse que o arroz doce e o leite creme são das sobremesas mais comidas cá em casa. Mas também já não é segredo o meu gosto em tentar mudar as receitas "originais" e acrescentar algo que gosto bastante. Neste caso resolvi juntar ao  dois sabores que adoro - a maçã e canela.
     
     
    Assim, decidi fazer o tão delicioso arroz doce e acrescentar maçã ralada e maçã desidratada, algo que adoro. Com a maçã desidratada trago também uma parceria entre o Blog Prato Caseiro e a Fruut, a quem desde já agradeço os produtos enviados.
    A Fruut é 100% natural, feito a partir de finas fatias de fruta produzida em Portugal, sem adição de açúcar, gordura ou conservantes, podendo ser consumido como aperitivo, snack ou sobremesa. O processo de secagem reduz o teor de humidade de 85% a cerca de 2%, resultando um delicioso e crocante petisco. Tratando-se de um produto sem Glúten e sem adição de açúcar, pode ser consumido por celíacos, diabéticos e doentes cardiovasculares.




    Ingredientes:
    • 1l de leite 
    • 160gr de arroz carolino das Lezírias Alentejanas (Bom Sucesso)
    • 1 maçã (Usei maçã vermelha)
    • 2 Cascas de limão
    • 1 Pau de canela
    • Sal q.b.
    • 160gr de açúcar
    • 4 Gemas de ovo
    • Canela para polvilhar q.b.
    • Fruta desidratada vermelho doce (Fruut)

    Preparação:
    - Coloque no copo da Bimby todos os ingredientes, incluindo a maçã ralada, exceto o açúcar e as gemas.
    - Programe 15 min./ 90º/Velocidade inversa/ Colher de pau. Ao fim deste tempo retire a tampa e envolva com a espátula.
    - De seguida programe 25 min./ 90º/ Velocidade inversa/ Colher de pau.
    - Quando terminar, junte o açúcar e depois as gemas, previamente desfeitas com um pouco de arroz doce.
    - Envolva de novo, com a ajuda da espátula.
    - Programe 10 min./ 90º/ velocidade inversa / Vel 1 1/2.
    - Ao fim deste tempo distribua numa travessa ou em taças pequenas.
    - Deixe arrefecer um pouco.
    - Decore a gosto (eu usei a travessa da Staub para servir o arroz doce) com canela e pequenos pedaços fruta desidratada maça vermelha. 




    quinta-feira, 25 de setembro de 2014

    Nuggets de frango com arroz de cenoura

    A sugestão que trago hoje é muito simples e rápida de fazer. Posso mesmo dizer que agrada a todos. Miúdos e graúdos.




    Ingredientes:
    • Nuggets de frango
    • Arroz Carolino das Lezírias Ribatejanas (Bom Sucesso)
    • 1 Cebola
    • 2 Dentes de alho
    • Azeite
    • 1 Cenoura
    • Sal
    Preparação:
    - Comece por preparar o arroz.
    - Num tacho coloque a cebola picada e os dentes de alho também picados.
    - Adicione um fio de azeite e deixe refogar ligeiramente.
    - De seguida adicione a cenoura ralada à moda antiga (com a faca - mas com cuidado para não se cortarem).
    - Mexa bem. Junte agora a água.
    - Quando levantar fervura adicione o sal e o arroz.
    - Enquanto o arroz coze prepare os nuggets.
    - Coloque os nuggets no tabuleiro da actifry 2 em 1. Programe 10 minutos.
    - A meio do tempo vire-os.
    - Sirva os nuggets com o arroz de cenoura acompanhado de uma deliciosa salada mista.

    quarta-feira, 24 de setembro de 2014

    Pescada no forno com cogumelos e tomate

    Com a chegada do outono e os dias chuvosos começam a apetecer aqueles pratinhos de forno, mais reconfortantes. Mas em vez de carne, foi a vez da pescada ir parar ao forno. Deliciosas e suculentas rodelas de pescada (sem espinhas) acompanhadas de cogumelos laminados.


     Ingredientes:
    • Rodelas de pescada
    • 1 lata de cogumelos laminados (Compal)
    • Sumo de um limão
    • Sal
    • Pimenta
    • Polpa de tomate refogado das hortas (Compal)
    • Tomilho limão (Aromáticas Vivas)

    • 300gr Arroz aromático (Bom Sucesso)
    • 1 Cebola
    • 2 Dentes de alho
    • 30gr de azeite
    • Salsa (Aromáticas Vivas)
    • Sal
    • 800gr de água
    Preparação:
    - Comece por temperar as rodelas de pescada. Tempere com sal, pimenta e sumo de limão.
    - Deixe marinar durante 20 minutos.
    - Ao fim deste tempo regue o fundo de um tabuleiro para ir ao forno com azeite.
    - Por cima disponha as rodelas de pescada.
    - Cubra com os cogumelos laminados escorridos.
    - Coloque pequenas colheres de polpa de tomate refogado da horta por cima.
    - Finalize com raminhos de tomilho limão e mais um fio de azeite.




     

    - Prepare agora o arroz.
    - Coloque no copo a cebola cortada e, pedaços, os dois dentes de alho, a salsa e o azeite. Pique 5 seg. / vel.5.
    - De seguida refogue durante 5 min. / varoma / vel.1. Quando terminar retire e reserve.
    - Coloque o refogado no cesto com o arroz. Reserve.
    - Sem lavar o copo,

     

    segunda-feira, 22 de setembro de 2014

    Creme caseiro para as mãos I

    Depois do sol e agora que o outono está a chegar, é a altura de termos alguns cuidados adicionais com a nossa pele. E as mãos fazem parte destes cuidados também. Sol, águas quentes, frias, detergentes e tantas outras coisas acabam por causar danos nas mesmas devido à sua exposição a estes fatores.

    Se tivermos cuidados regulares as nossas mãos agradecem.

    Por isso trago uma solução caseira e milagrosa para as nossas mãos. Um creme rápido de se fazer e que contêm propriedades hidratantes.

    Com três ingredientes apenas as nossas mãos ficam mais novas. Como fazer?

    Imagem retirada da Internet



    Ingredientes:
    • 1 Colher (de sopa) de mel
    • 1 Colher (de sopa) de azeite
    • 1 Colher (de sopa) de queijo ricota
    Preparação:
    - Comece por colocar todos os ingredientes num recipiente.
    - Misture bem até obter um creme homogéneo.
    - Pode aplicar o creme.

    Sugestão de aplicação:
    - Antes de aplicar o creme, lave e seque bem as mãos.
    - De seguida aplique o creme nas mãos e envolva-as num saco de plástico, durante 5 minutos.
    - Ao fim deste tempo, retire o creme lavando as mãos em água fria abundante.


    Amêijoas à Bulhão Pato

    Este petisco, tipicamente português, tem na origem do seu nome uma homenagem ao poeta Raimundo António de Bulhão Pato. De confeção bastante simples, a qualidade das amêijoas usadas é fundamental para o sucesso do prato e o molho que as acompanha pede pão, de preferência caseiro... da minha avó! Hoje foi dia de amêijoas à Bulhão Pato.


    Ingredientes:
    • 1 Kg de amêijoas
    • Sal
    • Azeite
    • 2 limões
    • 1 Cabeça de alhos
    • Coentros frescos (Aromáticas Vivas)

    Preparação:
    - Comece por preparar as amêijoas. Coloque-as em água para que estas libertem a areia.
    - Lave-as depois em várias águas até não terem nenhuma areia.
    - A seguir coloque os dentes de alho picados num tacho. Regue com azeite até cobrir o fundo do tacho.
    - Quando o azeite estiver quente, adicione as amêijoas, tape o tacho e coloque em lume brando.
    - Deixe cozinhar durante alguns minutos, até as amêijoas abrirem.
    - Quando as amêijoas estiverem abertas junto o sumo de um limão e os coentros picados Aromáticas Vivas, reservando alguns para decorar. Envolva bem.
    - Sirva de imediato. Decore com os coentros picados reservados e com gomos de limão.


    domingo, 21 de setembro de 2014

    Parceria Frutorra

    É com enorme satisfação que comunico uma nova parceria entre o Blog Prato Caseiro e a Frutorra.



    A Frutorra tem a sua sede no centro de Portugal, em Degracias, concelho de Soure.

    Foi fundada em 1989. A sua atividade incide principalmente no setor da importação, na transformação e na distribuição dos mais diversos e frutos secos, principalmente do amendoim, pistachio, cajú, amêndoas, ameixas, pevides, tâmaras e cocktail de frutos secos.

    Um dos princípios base desde o início da Frutorra é a qualidade dos seus produtos. Por esse motivo e a pensar também nos processos de transformação, existiu a necessidade de em 1997 mudarem de instalações, o que permitiu também aumentar a sua produção.

    Como exemplo e também como curiosidade conseguiram passar a capacidade de torrar amendoins, de 200Kg / dia para 2000Kg / dia.

    Os produtos distribuídos pela Frutorra têm a sua origem nos mais diversos pontos do globo. Sejam de origem nacional ou internacional a Frutorra considera a proveniência dos produtos um dos aspetos mais importantes para a qualidade final.

    A qualidade é de tal forma um ponto fundamental para a Frutorra que está em curso o processo de sistema de autocontrolo, o HACCP.

    Resta-me agradecer toda a disponibilidade e atenção da Frutorra assim como os magníficos produtos enviados e de extrema qualidade.

    Caril de lulas com malagueta fresca

    Embora não faça com muita regularidade cá em casa gostamos muito de lulas. Hoje foi feito com caril madras, delicioso.

    Fica assim uma sugestão muito simples e que desapareceu em menos de nada.



                                                                          Ingredientes:
    • 1/2Kg de lulas
    • 1 Cebola
    • 4 Dentes de alho
    • 1/4 Pimento vermelho
    • Folhas de coentros secos
    • Leite q.b. (usei magro)
    • 1 Colher (de sopa) de caril madras (Aromas e Especiarias)
    • Azeite especial reserva (Nono Sentido)
    • 1 Malagueta fresca (Sabor Bio)
    • Piri-piri em aguardente (Sabor Bio)
    • Sal
    • Pimenta
    • Arroz Baby Rice (Bom Sucesso)
    Preparação:
    - Num tacho coloque um fio de azeite especial reserva Nono Sentido.
    - Adicione a cebola picada e os dentes de alho também picados.
    - Coloque em lume brando.
    - Quando a cebola começar a ficar translúcida adicione o pimento lavado e cortado em cubos mais ou menos regulares.
    - Ao fim de 2 ou 3 minutos adicione as lulas arranjadas, limpas e cortadas em rodelas. Tempere com sal e pimenta a gosto. Adicione também a malagueta fresca Sabor Bio cortada em rodelas. Tape o tacho e deixe cozinhar até as lulas estarem macias.
    - Numa tigela coloque o caril madras Aromas e Especiarias e um pouco de leite. Mexa até dissolver.
    - Regue as lulas com este preparado e junte mais um pouco de leite.
    - Rectifique os temperos e junte umas gotas de piri-piri em aguardente Sabor Bio.
    - Envolva bem e deixe cozinhar mais 5 minutos.
    - Acompanhe com arroz branco frito Baby Rice da Bom Sucesso.
    - Polvilhe com as folhas de coentro secas.

    sexta-feira, 19 de setembro de 2014

    Tosta na frigideira de frango e queijo com tomate e orégãos em pão alentejano

    Mais uma sugestão simples e deliciosa proveniente de um aproveitamento de frango assado.



    Ingredientes:
    • Pão alentejano
    • Frango assado (aproveitamento)
    • Queijo fatiado (Terra Nostra)
    • Manteiga (Terra Nostra)
    • Tomate
    • Orégãos secos (Pimensor)




















                           Preparação:
    - Comece por desfiar o frango. Reserve.
    - Lave e corte o tomate em pequenos cubos.
    - Por cima de uma fatia de pão alentejano coloque uma fatia de queijo Terra Nostra. Cubra com frango e com tomate. Cubra com uma nova fatia de queijo.
    - Por cuma coloque uma nova fatia de pão alentejano.
    - Barre com manteiga Terra Nostra.
    - Finalmente polvilhe com orégãos secos Pimensor.
    - Leve a tosta a dourar na frigideira. Aperte-a com a ajuda de uma espátula.
    - Vire  faça o mesmo do outro lado.


     
     
    Ficou maravilhosa e servida numa Tábua maravilhosa, Gradirripas.

    quinta-feira, 18 de setembro de 2014

    Lombos de salmão assado com cenoura, courgette e batatas em espirais aromatizado com limão

    Sou fã de peixe, e de salmão em particular. Cá em casa deve ser dos peixes que mais comemos, mas a minha cara metade só quer... lombos. Sem espinhas!

    Esta é uma sugestão muito simples , mas muito deliciosa.


    Ingredientes:
    • Lombos de salmão
    • Cenoura
    • Courgette
    • Batatas
    • Azeite especial peixe (Nono Sentido)
    • Raspa de limão
    • Orégãos secos
    • Sal
    • Pimenta
    Preparação:
    - Comece por arranjar o salmão eliminando algumas espinhas. Retire-as com a ajuda de uma pinça. Reserve.
    - Entretanto corte em pedaços a courgette e a cenoura. Lave e descasque as batatas e corte-as em forma de espiral com a ajuda de um utensílio próprio.
    - De seguida coloque um fio de azeite no fundo de travessa individuais que possam ir ao forno.
    - Por cima coloque os lombos de salmão. Tempere com sal e pimenta.
    - À sua volta disponha os legumes.
    - Polvilhe com folhas secas de orégãos e com raspas de limão.
    - Coloque mais um fio de azeite especial para peixes da Nono Sentido.
    - Leve a assar em forno pré-aquecido até estar assado.

    quarta-feira, 17 de setembro de 2014

    Aromáticas Vivas - Curso de Gin's

    Olá a todos. Gostaria de partilhar com vocês o curso de Gin's que a Aromáticas Vivas vai fazer no próximo dia 4 de outubro.
     
    Com muita pena minha não vou poder estar presente visto ser em Viana do Castelo, mas deixo desde já esta dica. Tenho a certeza que vai ser muito giro. Vamos participar?


     
    Aqui ficam algumas informações do curso "Gin com Ervas Aromáticas"

    4 de Outubro (Sábado)
    Das 15h às 17h

    Local: Bella Club (Praça da Liberdade - Viana do Castelo)

    Curso para Iniciados com Formador Certificado


    Venha aproveitar:

    * Gin feito com excelência
    * Combinações com Ervas Aromáticas...

    * Prova de sabores


    Preço-pessoa: 20€


    INSCRIÇÕES através do envio de nome e assunto e-mail: marketing@aromaticasvivas.com

    RECEBERÁ um e-mail de aviso de recepção com o NIB para o qual deverá fazer transferência de 50% do valor de inscrição.

    As INSCRIÇÕES serão consideradas APENAS após ENVIO DE COMPROVATIVO DE PAGAMENTO de 50%


    Participantes MIN. 6 e MÁX. 12


    -> Curso destinado a maiores de 16 anos.
     
    Podem ver aqui:

    https://www.facebook.com/events/1474721492780917/


    terça-feira, 16 de setembro de 2014

    Este fim de semana foi assim...

    Tal como tinha dito este fim de semana foi um fim de semana prolongado... e delicioso. Pelo campo... parte dele foi assim... a apanhar amoras...
    São deliciosas. Realmente no campo há tantas delícias... Além das amoras, foram também os figos, os marmelos e tantas outras coisas!! Sem nunca esquecer o pão caseiro da avó...


     
     
    Ansiosa para fazer delícias com estas maravilhosas e doces amoras...

    Vencedor "A receita mais fresca deste Verão"

    Olá a todos!! Depois de um maravilhoso fim de semana prolongado o regresso hoje é feito não com uma receita, mas com o resultado de um magnífico passatempo que serviu para comemorar o 2º aniversário do blog Prato Caseiro.

    O passatempo desenrolou-se entre os dias 06.08.2014 e 05.09.2014 e contou com a preciosa ajuda de alguns dos fantásticos parceiros que o blog tem. O regulamento foi publicado aqui.

    Os parceiros que participaram neste passatempo são:

    A todos o meu muito obrigada.

    Obrigada também aos 38 participantes pelas deliciosas e frescas sugestões.

    Mas está chegada a hora de partilhar com todos quem foi o vencedor d' "A receita mais fresca deste verão".

    Uma receita fresca, original e bastante criativa.

    A vencedora foi a Idália Marques com a receita "O meu saudável cubo mágico"

     
    Bem fácil de fazer e muito fresca.
     
    Ingredientes:
    • Melancia
    • Kiwi
    • Queijo feta
    • Groselha
    • Hortelã
    • Sementes de sésamo
    Preparação:
    - Corte em cubos do mesmo tamanho a melancia.
    - A seguir corte o kiwi em cubos de tamanho igual ao da melancia.
    - Faça o mesmo em relação ao queijo feta.
    - Monte agora o cubo mágico.
    - Decore a gosto com groselhas, hortelã e sementes de sésamo.
     
    Esta é uma sugestão muito saudável e muito agradável.
     
    Muitos parabéns à Idália Marques. Peço que me envie para o meu mail os seus dados (cozinhacaseira2012@gmail.com) e que disfrute deste fantástico cabaz!
     
    Mais uma vez muito obrigada a todos os parceiros participantes e a todos aqueles que concorreram neste passatempo. Sem dúvida um grande leque de deliciosas sugestões.
     

    quarta-feira, 10 de setembro de 2014

    Bacalhau à Brás com courgette ralada e batata palha caseira

    Mais uma experiência na nossa cozinha. Bacalhau à Brás. Este é um prato muito apreciado cá em casa, mas apetecia-me experimentar alguma coisa diferente. Já o fiz com alho francês, com camarão... e desta vez resolvi adicionar courgette ralada.

    Ingredientes:
    • Bacalhau
    • Courgette
    • Batata palha caseira
    • Cebola
    • Alhos
    • 3 ovos
    • Azeitonas (Monte da Colónia)
    • Azeite Especial Peixe (Nono Sentido)
    • Salsa
    • Sal q.b.
    • Pimenta q.b.

     
    Preparação:
    - Comece por lavar e descascar as batatas. Corte-as em palitos muito finos. Leve a fritar e reserve.
    - De seguida coza o bacalhau (já demolhado).
    - Depois de cozido retiram-se as espinhas do bacalhau e transforma-se o mesmo em lascas.
    - De seguida coloque num tacho azeite e quatro dentes de alho picados. Quando o alho estiver alourado junte uma cebola cortada em rodelas muito finas, assim como a courgette ralada. Deixar que fique translúcido. Tempera-se com um pouco de sal e pimenta moída na altura.
    Depois junte o bacalhau ao preparado anterior e envolva bem. Junte agora a batata palha caseira.
    Enquanto a batata se mistura e amolece, bata os ovos numa taça.
    - Adicione os ovos e mexa energicamente com um garfo de madeira. Não deixar secar muito.
    Por fim junta-se salsa picada e serve-se acompanhado com azeitonas.



    E agora uma curta pausa no blog. Fim de semana grande cá dentro, descoberta de novos locais e novas gastronomias. Para a semana... no sítio do costume.

    terça-feira, 9 de setembro de 2014

    Iogurtes com doce de cherovia

    Mais um iogurte, mais uma deliciosa surpresa. Estes foram preparados com doce de cherovia... 5 estrelas.

    Ingredientes:
    • 1 Litro de leite meio-gordo
    • 1 Iogurte natural
    • 3 Colheres (de sopa) rasas de açúcar
    • 2 Colheres (de sopa) de leite em pó
    • Doce de Cherovia (Cherosabor)

    Preparação:
    - Comece por aquecer um pouco o leite. O suficiente apenas para ficar morno.
    - De seguida coloque num jarro o iogurte natural (eu mexo sempre antes com uma colher).
    - Adicione o açúcar e o leite em pó. Mexa muito bem.
    - Quando estiver tudo bem envolvido, adicione o leite morno e misture tudo.
    - No fundo de cada fresquinho coloque um pouco de doce de cherovia.
    - Distribua agora o iogurte pelos copinhos de iogurte e coloque-os na iogurteira (sem a tampa). Eu programei para 10h.
    - Ao fim deste tempo deixe arrefecer, coloque as tampinhas nos frascos e leve ao frigorífico.

    segunda-feira, 8 de setembro de 2014

    Pita Meatball

    Pita meatball, pita com almondêgas... pita com qualquer coisa. Esta ideia surgiu nas férias que fizemos este ano a Miami. Num dos programas de cozinha (claro que até aí eu os via) um deles era sobre restaurantes e o que faziam. E num deles vi algo parecido que resolvi fazer... Surpresa... Muito bom!
     


    Ingredientes:
    • Almôndegas (ver receita aqui)
    • Couve lombarda
    • 1 Cebola
    • Cenoura ralada
    • Mostarda (Usei Pimensor)
    • Azeite
    • Sal
    • Pimenta
    • Piri-piri em aguardente q.b. (Sabor Bio)
    • Pão pita (usei de compra)
    Preparação:
    - Depois de preparar as almôndegas conforme receita indicada reserve.
    - Enquanto prepara as almôndegas prepare também a mistura de couve com cebola. Corte a couve lombarda em tiras muito finas. Faça o mesmo à cebola.
    - De seguida coloque um fio de azeite numa frigideira antiaderente, coloque lá a couve e a cebola. Deixe cozinhar lentamente. Tempere com sal e pimenta moídos na hora.
    - Quando estiver quase pronto adicione o piri-piri com aguardente Sabor Bio. Envolva bem.
    - Depois da couve pronta misture cenoura ralada.
    - Prepare o pão conforme instruções da embalagem (borrife com água e aqueça ligeiramente).
    - Abra-o e recheie o seu interior com as almôndegas e com a mistura anterior.
    - Sirva acompanhado com mostarda Incopil, Pimensor.



    domingo, 7 de setembro de 2014

    Parceria A Poveira

    É com muita satisfação que comunico a todos os que me acompanham uma nova parceria entre o Prato Caseiro e A Poveira. Para quem não conhece, desde 1938 que as conservas da A Poveira estão presentes nos mais exigentes países do mundo, sendo as suas marcas reconhecidas pela qualidade, excelência e fabrico tradicional. A Poveira opera em vinte e cinco países por todo o mundo e posiciona-se no setor como uma conserveira de elevada qualidade.

    "A Fábrica de Conservas A Poveira foi fundada em 16 de Junho de 1938. Sucedeu à "Ernoud de la Provoté Pére et Fils” Cholet – Loire Atlantique, a primeira unidade fabril de conservas de peixe na Póvoa de Varzim, que data de 1920.
     
    Em 1945 fruto das sinergias entre as fábricas existentes nos concelhos da Póvoa de Varzim e de Vila do Conde, surge a empresa Olfaixe, à qual a A Poveira se associa.
     
    Em 2013 surge a nova unidade fabril no Parque Industrial de Laúndos, Póvoa de Varzim
    Nas novas instalações A Poveira passou a ter uma grande capacidade de congelação, 500 toneladas, melhorando a gestão dos stocks de matéria prima, fundamental para fazer face ao grande desafio desta industria: a falta de peixe.
    A nova fábrica está equipada com a mais avançada tecnologia disponível no setor, o que não impede a A Poveira de continuar a apostar nos métodos de fabrico tradicionais. É pela conjugação das técnicas tradicionais, com avançada tecnologia e métodos rigorosos de controlo da qualidade que a A Poveira alcança a reconhecida excelência dos seus produtos.
    A A Poveira contribui para uma importante valorização dos recursos pelágicos, transformando-os num alimento rico e altamente nutritivo, benéfico para a saúde, seguro e de características organolépticas irrepreensíveis."

     
    A Poveira tem como missão "Produzir as melhores conservas do mundo!"
     
    A Poveira "Com a preocupação constante em preservar a tradição, A Poveira procura também ir ao encontro dos desejos dos consumidores cada vez mais exigentes. As suas
    conservas, produzidas com peixe fresco, além das receitas clássicas,
    oferecem receitas que surpreendem pelos novos sabores.Aliando as técnicas tradicionais à mais avançada tecnologia de fabrico, A Poveira
    alcança o melhor produto, com uma enorme diversidade de receitas.
    Desde 1938 que as conservas da A Poveira estão presentes nos mais exigentes
    países do mundo, sendo as suas marcas reconhecidas pela qualidade, excelência e
    fabrico tradicional.
    Fabrico tradicional, experiência, elevados níveis de qualidade e inovação constante
    são as marcas da A Poveira, que procura dar ao consumidor o melhor produto do
    setor das conservas."

    As conservas da Poveira são também "conhecidas mundialmente pela sua boa qualidade e
    delicioso sabor. São produzidas com peixe fresco, capturado na costa
    portuguesa e produzidas segundo o método tradicional pré-cozido."


    Posto isto... vamos experimentar??

    O meu muito obrigada à Poveira pelas conservas que gentilmente me enviaram.